CNV capaComo falar o que precisa ser dito de uma forma autêntica, assertiva e eficaz? Essas e outras habilidades estão sendo desenvolvidas no curso básico de Comunicação Não Violenta (CNV), promovido pelo Núcleo de Práticas Restaurativas do Ministério Público do Amapá (MP-AP), com a mediação do especialista Sven Fröhlich. A capacitação, que está sendo realizada na Procuradoria-Geral de Justiça, iniciou no último dia 11 e o primeiro módulo encerrou nesta sexta-feira (14). CNV CURSO

O formador Sven Fröhlich é facilitador internacional de Comunicação Não Violenta, comunicação intercultural e mediação de conflitos há 20 anos; co-fundador da empresa Diálogos Corajosos. Na Alemanha, foram seus clientes o Exército alemão e o Governo da Bavária. No Brasil, multiplicou a CNV para mais de 6 mil pessoas, além de trabalhar para empresas, prefeituras, tribunais, Ministérios Públicos e outras organizações.

Sven esclarece que ao longo do curso todos terão a oportunidade de descobrir como conduzir conversas difíceis, de maneira construtiva; criar um clima de cooperação, valorização e confiança com diálogos empáticos; não se ofender com as críticas recebidas; falar sua verdade sem querer machucar o outro; ter mais segurança para lidar com pessoas difíceis, raivosas ou desafiadoras; sair do piloto automático, da reatividade; escutar empaticamente, além das palavras; autogerenciamento em situações de estresse e falar e receber um “não” com tranquilidade. 

CNV NucleoO criador desse processo é o psicólogo estadunidense Doutor Marshall Rosenberg, que  tendo crescido em um bairroWhatsApp Image 2018 09 14 at 10.46.18 turbulento de Detroit, se interessou por novas formas de comunicação para criar alternativas pacíficas de diálogo que amenizassem o clima de violência com o qual conviveu. A técnica foi o resultado de sua especialização em psicologia social, de seus estudos de religião comparada e de suas vivências pessoais. Seu livro, Comunicação Não-Violenta – Técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais - Editora Ágora, 2006, virou um best-seller internacional.

A coordenadora do Núcleo de Mediação de Conflitos e Práticas Restaurativas do MP-AP, promotora de Justiça SilviaPARTICIPANTES CNV Canela, acrescentou que os participantes vivenciam um processo transformador no modo de se comunicar. “São técnicas que nos ajudam, dentre outras coisas, a escutar além das palavras na hora do conflito; a lidar com as emoções desafiadoras para conseguirmos conversar e fazer escolhas com mais clareza, e conhecer um caminho para construir relações de confiança, por meio de uma linguagem que aumenta a disposição para cooperação e apoio mútuo”.

Lidiane Almeida, integrante do Núcleo, falou do quanto o curso tem sido enriquecedor. “É uma possibilidade da gente se olhar por dentro e perceber os sentimentos que temos por trás das reações diante dos fatos. Identificar nossos sentimentos e necessidades faz toda a diferença para um mundo sem violência”. 

PARTICIPANTE DO CURSOPara o servidor da Promotoria de Justiça de Calçoene, Josias Júnior, os ensinamentos repassados neste primeiro momento da capacitação foram muito válidos. “O curso foi super edificante. É uma nova forma de ver o próximo e analisar o nosso trato com toda e qualquer pessoa que a gente tenha contato. Melhora muito a convivência e tenho todo o interesse em continuar me qualificando nessa área”, manifestou. 

Dominar técnicas de comunicação não violenta pode ser o caminho para superar os níveis de desengajamento nasCNV MP e TJAP organizações, que geralmente ocorrem devido à falta de reconhecimento e necessidade das pessoas serem ouvidas; pela ausência de uma comunicação aberta e franca, de um interesse sincero pelos problemas do outro, e devido o pouco diálogo entre colegas de trabalho e seus líderes. 

Participaram ainda do curso a procuradora de Justiça Judith Teles, coordenadora-geral do CAOP da Infância, Juventude e Educação; a promotora de Justiça Socorro Pelaes, titular da Promotoria de Execuções Penais; juízas de Direito Larissa Noronha, Eliana Pingarilho, Michele Farias e Carlinne Regina de Negreiros;  servidores do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (IAPEN); colaboradores e voluntários do Núcleo de Práticas Restaurativas do MP-AP e servidores de diversas Promotorias de Justiça. 

CNV IINo Módulo 1 foram abordados os seguintes temas:

Obstáculos na comunicação, reações possíveis a uma crítica;

O poder da escuta empática; 

A expressão autêntica - os quatro componentes da CNV; 

Tirar o filtro mental - observar sem avaliar; 

Clareza na comunicação - distinguir sentimentos e pensamentos;

Ampliar possibilidades de escolha - distinguir necessidades e estratégias;

Linguagem de ações positivas - a arte de pedir

 

SERVIÇO:

Ana Girlene

Assessoria de Comunicação do MP-AP

Contato: (96) 3198-1616/(96) Email:Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.