d98f3ead 62fb 4691 bc4a 49b0892ac9e8O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (PJDE), realizou na última segunda-feira (13), inspeção extraordinária na Escola Estadual Lucimar Amoras Del Castillo, situada no bairro Santa Rita. A vistoria foi realizada em virtude de solicitação dos alunos que anseiam por melhorias na estrutura física da instituição de ensino.

De acordo com o titular da PJDE, promotor de Justiça Roberto Alvares, os estudantes pedem serviços como: reforma em todos os ambientes; readequação da rede elétrica para suportar a climatização nas salas de aula, Laboratório de Informática (LIED) - que está desativado - e nas demais dependências da estrutura física.b8e2c62f 9daa 41ff 8e60 6ae8d5ec2426

A equipe gestora da unidade escolar explicou que houve um reparo na infraestrutura da Escola, no período de dezembro de 2017 a abril de 2018. “Apenas trocaram algumas telhas e também houve uma pintura geral, mas não vimos tanto efeito, já que o muro não foi pintado e algumas salas de aula, do andar de cima, também não. Além da permanência do forro antigo que só colocaram PVC por cima”, pontuou a diretora da escola, Thassylany Amanajás.

O educandário oferta 12 turmas dos anos finais do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA), atendendo em 2019, um quantitativo de 312 estudantes. Em 2018, houve inspeção pela equipe da PJDE, levando à abertura de um Inquérito Civil Público.

c8358c18 5bb6 4617 a250 f2c1947fcc4dDurante a inspeção, foram detectados também: que o piso superior da escola está interditado, precisando readaptar salas de aula; recuperar o forro da sala de artes que desabou; os parapeitos são inadequados; os alambrados da quadra estão com problemas de eletricidade; falta de acessibilidade; sala de leitura e TV Escola interditadas; janelas caindo; bebedouro com defeito; árvores que precisam ser podadas; problemas na cozinha (refeições); goteiras no período de chuvas; e alto índice de evasão e transferências, devido aos problemas estruturais.

O titular da PJDE enfatizou a necessidade de retornar aos estabelecimentos de ensino para verificar as providências tomadas, após as inspeções extraordinárias.

“É lastimável voltarmos após quase um ano e meio a uma escola, onde já tínhamos recomendado que fossem corrigidas as falhas sistêmicas, e constatarmos as mesmas deficiências. Questionamos o porquê de tantas mazelas e tanto descaso. Um educandário que poderia atender com qualidade, está promovendo evasão de estudantes, além de desânimo. Não está sendo um lugar acolhedor e estamos lidando com uma situação triste de se ver. E, mais triste, por lidar com alunos participantes da Escola em Tempo Integral - ETI”, pontuou Roberto Alvares.

Serviço:

Tanha Silva – Diretora de comunicação
Texto: Louise Dias
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Diário Eletrônico

Edição Data Visualizar
37/2020 27/02/2020
36/2020 21/02/2020
35/2020 20/02/2020
34/2020 19/02/2020
33/2020 18/02/2020
32/2020 18/02/2020
31/2020 14/02/2020
30/2020 13/02/2020
29/2020 12/02/2020
28/2020 11/02/2020
Ver todos

Corregedoria-Geral

Decisões dos Órgãos Colegiados
Res. 173-CNMP

Sistema Cuidar

Plantões

Espelho do MPAP

Plenário Virtual

Olá! Posso ajudar?
Sofia - Assistente Virtual
Online
  • 20:51     Sofia
    Olá, seja bem-vindo! Meu nome é Sofia, sou assistente virtual do MP-AP.
  • 20:51     Sofia
    Em que posso ajudar? 😊
  • 20:51     Selecione uma das opções